Blog

Que venha o PIB de 2021, por Ari Rabaiolli*

A queda no resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil já era esperada em 2020. Seria impossível que em um ano pandêmico, com restrições de atividades e, consequentemente, limitação da movimentação econômica, fosse diferente.


Mas o desempenho de -4,1%, segundo o IBE, não pode ser visto como tão ruim. Até mesmo porque, diante de grandes potências mundiais, a exemplo da própria Alemanha, uma referência cultural, econômica, de educação e tantos outros aspectos, teve desempenho pior do que o Brasil (-4,9%).


Vamos aos números, de fato. O PIB do Brasil em 2020 foi de R$ 7,4 trilhões. Além disso, o PIB per capta (por habitante) R$ 35.172 em 2020 foi 4,8% a menos do que em 2019.


Mais uma razão para enxergarmos os resultados com bons olhos: ao mesmo tempo em que o PIB de 2020 teve retração, o quarto trimestre do ano passado deu fôlego ao desempenho anual e registrou alta de 3,2% em comparação ao trimestre anterior - foi 1,1% menor do que o mesmo período de 2019.


A maior surpresa, por sua vez, foi no resultado do Transporte, que acumulou queda de 9,2%, segundo o IBGE. É uma realidade muito diferente se considerarmos o desempenho das empresas do Transporte Rodoviário de Cargas a partir das consultas da Fetrancesc, que podem até ter tido queda, mas, certamente, em Santa Catarina é muito menor do que o total do Brasil. A propósito, elas tiveram crescimento nas receitas, em 2020, entre 8 e 10% sobre 2019 ou, no máximo, registraram empate técnico.


A soma de todos os bens e serviços finais produzidos ou, em outras palavras, o PIB, estava em crescimento constante de 2017 até 2019. É fato! E também é fato que o Brasil poderia ter desempenhos muito melhores do que os registrados – aliás, isso é o que todos nós, cidadãos, queremos sempre.


E é por isso que os números de 2020 merecem olhar otimista: estamos completando um ano de crise gerada pela pandemia da Covid-19, algo inimaginável para qualquer um, e, mesmo assim, tivemos melhor desempenho do que muitos países anos-luz à nossa frente. Ora, isso merece realmente ser bem visto!


Isso demonstra que precisamos usar os bons exemplos de 2020 para enfrentar 2021 e gerar resultados mais otimistas ainda. Uma alternativa? Enxergar em cada problema uma oportunidade. A capacidade de evolução do ser humano é responsável pelo sucesso de suas ações.


Que venha o PIB de 2021!


*Ari Rabaiolli é diretor-presidente da Aceville Transportes e presidente da Fetrancesc, Transpocred e Conselho Regional do SEST SENAT/Santa Catarina.